Tempo de Ser (Mãe)

img_5882

Hoje falo de tempo, esse bem precioso e cada vez mais escasso. Que ganhou outro valor, outra dimensão há ano e meio. Por muito que o relógio biológico tivesse despertado, que quisesse e soubesse que a vida iria mudar totalmente, nunca há a verdadeira noção da alteração. Não, não me arrependo, mas sim, queixo-me. É legítimo fazê-lo, passei de ter todo tempo só para mim para deixar de ter uns minutos que seja. Deixei de ser eu e passei a ser a Mãe, aquela que mesmo quando não está com a cria, continua a ser mãe, a fazer tudo em função dessa nova condição.
E a questão do tempo é sem dúvida uma privação que senti fortemente. Às vezes faz falta, tempo para ser mais eu, tempo para estar só comigo, tempo para não fazer nada, tempo para dormir, tempo para pensar, tempo para respirar, tempo para ir ao cinema ou a um concerto, tempo para ver o sol ou a chuva, tempo…
Sim, eu sei que posso pedir às avós, que há amas que ficam com os rebentos por umas horas e tudo fica mais fácil, conseguimos por momentos ser nós, somente nós, mas eu não consigo, ao início estranhava e perguntava-me porquê?! Porque é que há tantas pessoas a fazê-lo e eu não consigo?! Depois aprendi duas coisas, que cada mãe tem o seu tempo e que para mim esse tempo ainda não chegou, a filha é minha, eu tenho de cuidar dela, é de mim que ela precisa, sou eu que conheço cada choro, cada palavra, cada fio de cabelo e, na verdade sou eu que também preciso muito dela, é assim que me sinto bem e estou descansada.  Nada contra quem consegue ausentar-se, cada mãe é uma mãe e as suas escolhas são sempre as corretas. A minha é ter sempre a cria por perto o mais tempo possível, apesar das dificuldades e algumas consequências que isso acarreta.
Agora é bom ver que começa a ganhar a sua autonomia e eu volto a ter um bocadinho do meu tempo, aos poucos, sem pressa. Daqui a uns anos,  voltarei certamente a ter todo o tempo para mim e aí vou estranhar de novo e provavelmente não saberei o que fazer com ele. Por agora quero continuar a aproveitar cada momento com ela, mesmo que vá acumulando algumas coisas por fazer, alguns momentos por viver noutros locais, com outras pessoas.
Se vai ser sempre assim?! Não sei, nós mudamos, a vida muda, tudo muda e não há certezas de nada em nada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s